Angiofluoresceínografia (Retinografia Fluorescente): tudo sobre

3 de novembro de 2017

Ao avaliar doenças que afetam a Retina e a Coroide (camada do olho rica em vasos sanguíneos, responsável por nutrir a Retina), o seu oftalmologista pode lançar mão do exame de Angiofluoresceinografia, também conhecido por Retinografia Fluorescente ou Angiografia Fluoresceínica.

Angiofluoresceinografia ou Retinografia Fluorescente

O que é a Angiofluoresceinografia?

Neste exame, é injetado um contraste ou corante fluorescente (fluoresceína de sódio) em uma das veias periféricas (geralmente do braço) do paciente. Após alguns segundos, esse contraste entra na circulação da Retina e da Coróide, localizadas no fundo do olho.

O examinador acompanha o aparecimento do contraste correndo pelos vasos da Retina desde a sua fase inicial, passando pela fase de enchimento completo até a fase tardia, quando o contraste já vai desaparecendo gradualmente. A análise e interpretação do exame é feita em todas as fases circulatórias, evidenciando muito bem o problema existente, assim como elucidando o tipo de tratamento ideal para cada caso

O corante fluorescente é estimulado através da emissão de uma luz azul diretamente na Retina. Quando estimulada, a fluoresceína emite fótons em tons de cor amarelo e verde.

A emissão dessa luminosidade pelo corante fluorescente é captado através de uma câmera fotográfica, que irá fotografar várias vezes o fundo de olho.

Por que o Exame de Retinografia Fluorescente é realizado?

Quando o seu Oftalmologista realiza um exame ocular no consultório, ele pode visualizar a Retina com o auxílio de exames simples como a fundoscopia, através do oftalmoscópio. Com este rápido e prático exame, o seu médico pode visualizar alterações suspeitas de doenças específicas da Retina.

Quando o objetivo do estudo está relacionado a problemas da Retina de origem circulatória, acarretando áreas de isquemia ou edema de retina, ou causado por doenças sistêmicas com comprometimento circulatório como o Diabetes e Hipertensão, o exame de Angiofluoresceinografia está indicado para diagnóstico e orientação terapêutica.

O contraste fluorescente permite avaliar a condição dos vasos sanguíneos do fundo de olho de maneira mais eficaz, detectando alterações que não poderiam ser visualizadas através de exames mais simples do olho como a Fundoscopia.

Assim, o seu Oftalmologista pode lançar mão do exame para detectar diversas doenças oculares, tais como:

  • Retinopatia Diabética;
  • Retinopatia Hipertensiva;
  • Hemorragias da Retina;
  • Oclusões venosas (tromboses) e arteriais da Retina;
  • Edema macular e de disco óptico;
  • Inflamações e infecções oculares (como a Uveíte e a Coriorretinite)
  • Tumores intraoculares;

Pacientes com Diabetes descontrolada de longa data podem ser portadores da chamada Retinopatia Diabética. Por conta do excesso de glicose no sangue, os pequenos e frágeis vasos da Retina sofrem danificações, tornando-se tortuosos e passando a extravasar sangue e outras substâncias. Nesses casos, a Angiofluoresceinografia permite encontrar onde estão essas alterações, assim como as áreas de isquemia na Retina que não são vascularizadas de forma adequada. Assim, é possível guiar o tratamento da doença com o auxílio da Fotocoagulação a Laser, por exemplo.

Como é realizado o exame?

É também importante realizar uma alimentação leve no dia do exame e estar em jejum 2 horas antes do procedimento. Usuários de lentes de contato não devem utilizá-las no dia do exame.

Ao chegar na clínica para realizar a Retinografia Fluorescente, será aplicado um colírio para dilatação das pupilas (o mesmo utilizado em outros exames oftalmológicos). Assim, é importante ter um acompanhante no momento do exame.

Após a dilatação da pupila, é realizada a injeção do contraste através de uma veia, geralmente a antecubital (localizada no braço) ou em veias da mão.

Depois do contraste, várias fotografias da Retina, em diferentes momentos, serão realizadas para avaliar a Retina em diferentes fases de passagem do corante fluorescente pelos vasos sanguíneos da região.

A duração da Angiofluoresceinografia é de aproximadamente 1 hora e o procedimento é totalmente indolor.

Existem complicações da Retinografia Fluorescente?

A injeção de contraste fluorescente pode trazer alguns efeitos colaterais e complicações em certos pacientes. Os efeitos mais comuns incluem náuseas, vômitos e prurido (coceira) devido a uma reação alérgica ao contraste. Reações adversas mais graves são bastante raras.

O exame está contraindicado em algumas situações:

  • Em gestantes;
  • Insuficiência renal;
  • Asma moderada a grave;
  • Doença cardiovascular significativa;

A Angiofluoresceinografia não é contraindicada nos pacientes com alergia ao Iodo (a fluoresceína não contém essa substância) ou a frutos do mar. Estamos preparados para medicar os pacientes que tenham quaisquer reações alérgicas (das mais leves até as mais acentuadas).

Existe algum exame mais moderno que a Angiografia Fluoresceínica?

Desde 2011, os pacientes do IOC têm à disposição a Tomografia de Coerência Óptica (OCT), um exame capaz de coletar imagens de alta resolução da Retina.

Somos uma das primeiras clínicas do Brasil a realizar, desde 2016, a Angiografia Digital pela Tomografia de Coerência Óptica, que dispensa a injeção de contraste necessário na Angiofluoresceinografia.

Esta nova tecnologia permite realizar até 70% dos exames sem o uso de contrastes, oferecendo ao médico informações necessárias para o diagnóstico e tratamento de muitas enfermidades da Retina. Porém, aqueles pacientes nos quais um estudo circulatório específico é necessário, ainda se torna necessária a injeção de contraste.

Com isso, o uso da Angiografia Fluoresceínica, em nossa clínica, fica restrito a poucos pacientes e os efeitos adversos são drasticamente reduzidos.

Se você tem alguma doença da Retina e precisa de uma avaliação adequada por imagem, agende sua consulta no IOC através do formulário abaixo e venha conhecer o que nossa clínica tem a oferecer. Estaremos aguardando pela sua visita.

Vamos agendar
a sua consulta?