Ceratocone pode levar à cegueira?

9 de outubro de 2017

O Ceratocone é o nome dado a uma doença ocular que resulta em um afinamento progressivo da Córnea, a lente mais externa do nosso olho, que também tem a função de proteger o globo ocular. Um dos maiores medos dos pacientes que recebem um diagnóstico de Ceratocone é saber se o Ceratocone pode levar à cegueira. E é sobre isso que esse artigo irá tratar.

Ceratocone pode levar à cegueira?

Alterações causadas pelo Ceratocone

O enfraquecimento e diminuição de espessura da Córnea leva a uma irregularidade no formato dessa lente, que passa a adquirir formato de cone, ficando mais proeminente ou “bicuda”.

A alteração do formato natural da Córnea traz deformidades que interferem com a qualidade da visão, causando perda da nitidez, visão turva, sombreada e dupla, induzindo ao aparecimento de Erros de Refração, que se manifestam como Astigmatismo frequentemente irregular e Miopia frequentemente progressiva.

Progressão da doença

O Ceratocone já pode se manifestar na pré-adolescência. Vem com baixa de visão associada à presença de Miopia e Astigmatismo. Nesta idade muitas vezes a baixa de visão em um único olho é compensada pela melhor nitidez do olho contralateral, não chamando a atenção do portador de Ceratocone. Muito frequentemente o Ceratocone está presente em alérgicos com coceira nos olhos. Pré-adolescentes que coçam compulsivamente os olhos devem ser investigados e ter a conjuntivite alérgica tratada, uma vez que coçar os olhos acelera a evolução do ceratocone.

A deformidade trazida pelo Ceratocone à Córnea traz distorções para a visão que não podem ser totalmente corrigidas pelo grau dos óculos, devido à presença de Astigmatismo Irregular. As lentes de contato rígidas proporcionam uma melhor visão por diminuírem parte da deformidade da Córnea, pela sua natural pressão sobre as áreas deformadas. A progressão natural do Ceratocone pode deixar a Córnea muito protusa ou bicuda, impedindo que a lente de contato permaneça na sua posição.

Na fase evolutiva mais aguda da doença, a mudança de grau dos óculos é frequente, sendo recomendado até quando a visão for viável, dando lugar depois às lentes de contato rígidas.

A progressão do Ceratocone varia de pessoa para pessoa. Em alguns pacientes geralmente jovens, ela pode progredir rapidamente, em outros pode se estabilizar numa forma mais branda ou ocasionar exacerbações ao curso da sua evolução, enquanto em outros pacientes essas exacerbações são raras ou inexistentes, coms alterações ocasionadas pelo Ceratocone mantendo-se estáveis por um longo período.

Em geral, a doença costuma progredir por aproximadamente 10 a 20 anos até tornar-se estável, na terceira ou quarta décadas de vida.

O Ceratocone leva à cegueira?

O Ceratocone é importante causa de prejuízo da visão e da chamada “cegueira legal”, caracterizada como a necessidade de uma pessoa necessitar de assistência especial por sua deficiência de visão. No Brasil, ela é definida com uma acuidade visual inferior a 20/200 no melhor olho.

Apesar disso, o Ceratocone não é uma doença que leva à cegueira completa. Nos cenários mais graves da doença, onde a Córnea sofre um processo de cicatrização que leva à redução importante da acuidade visual, um transplante de Córnea pode ser necessário. Em situações de Córnea especialmente finas, também pode ser indicado o transplante corneano para evitar quadros súbitos de ruptura de Córnea e hidropsia.

Como evitar a progressão do Ceratocone?

Durante muito tempo, o Ceratocone permaneceu com poucas opções de tratamento e com muitos pacientes progredindo para a necessidade do transplante de Córnea.

Porém, a tecnologia no tratamento do Ceratocone evoluiu de maneira significativa nas últimas décadas, com o surgimento do Crosslinking. Trata-se de um procedimento que visa aumentar a resistência da Córnea por reforçar as fibras de colágeno existentes no seu interior. Para isso, realiza-se a aplicação da Riboflavina (Vitamina B2) juntamente com o uso de raios ultravioleta Com isso, o Crosslinking traz um fortalecimento da Córnea, impedindo que a doença prossiga deformando seu formato natural.

Com essa moderna técnica, é possível reduzir (ou mais frequentemente estabilizar) a progressão do Ceratocone na grande maioria dos pacientes, evitando assim a necessidade de transplantes da Córnea.

O IOC, além de realizar o tratamento com Crosslinking faz juntamente um tratamento com o Laser para diminuir as deformidades da Córnea causadas pela doença, fortalecendo a córnea num formato menos deformado. Assim, melhora-se a qualidade da visão, além de impedir a progressão da doença. Esse tratamento personalizado que conduz os disparos de laser baseados nos exames de Topografia da Córnea (que medem os seus relevos, indicando suas áreas de deformidade) é feito no IOC desde 2007.
Se você apresenta sintomas do Ceratocone ou já recebeu o diagnóstico da doença e deseja saber se é um candidato ao Crosslinking, venha realizar sua avaliação com nossa experiente equipe de oftalmologistas. Basta realizar o agendamento através do formulário abaixo que iremos entrar em contato o mais breve possível. Estamos aguardando por você.

Vamos agendar
a sua consulta?