Problemas de visão na infância: aprenda a reconhecê-los

19 de agosto de 2016

Estar atento aos sinais que as crianças demonstram é uma maneira dos pais cuidarem de seus filhos, já que o diagnóstico precoce é necessário para garantir a boa visão infantil. As crianças estão suscetíveis a uma série de doenças oculares que são comuns nessa faixa etária. Reconhecer quando é o momento de buscar ajuda é fundamental para que a visão do seu filho ou filha possa se desenvolver da melhora maneira possível.

1. Leve em consideração a visão dos pais

Quando algum dos pais da criança possui um problema oftalmológico já diagnosticado (como o uso de óculos com graus elevados), a criança deve ser examinada por um Oftalmologista antes do período normal da primeira consulta – aos 4 anos –  por ter uma chance maior de também ter um problema semelhante.

2. Observe suas atividades diárias

Mesmo em uma primeira consulta oftalmológica sem anormalidades, nada impede que a criança passe a necessitar dos óculos com o passar do tempo. Doenças como os Erros de Refração podem surgir por irregularidades no tamanho do globo ocular ou imperfeições da Córnea e/ou do Cristalino (as duas lentes naturais do olho).

Incentivar a leitura das crianças é muito bom, além de ser uma maneira a mais de você observar qualquer dificuldade que eventualmente possa aparecer.

A melhor maneira de se avaliar a boa visão da criança é no consultório de um oftalmologista. Testes de visão variados como os de acuidade visual e de Daltonismo poderão avaliar a qualidade e quantidade da visão, bem como detectar anormalidades que precisem ser corrigidas.

A importância de medir a visão das crianças

O desenvolvimento da visão acontece de forma natural com o amadurecimento do cérebro e dos olhos. Em algumas situações, essa interação é obstruída, impedindo que a visão se desenvolva plenamente. A causa mais comum desse problema é a presença de grau em apenas um dos olhos ou uma diferença grande de grau entre os dois olhos. Quando isso acontece, o cérebro elege o olho sem grau, ou com menos grau como o seu preferido, e o outro olho deixa de estimular a sua área correspondente do cérebro para desenvolver a visão plenamente.

Um olho que não desenvolve a visão plenamente é denominado Amblíope ou “Olho Preguiçoso”. Vários outros motivos podem facilitar o surgimento da Ambliopia, como a presença de Catarata congênita, Estrabismo, infecções oculares, causas neurológicas, dentre outras. A maioria dessas causas chamam a atenção porque existe um problema visível. Porém, a diferença de grau entre os olhos não mostra sinais externos de que algo não está bem, e aí é que se esconde um grande perigo.

A criança pode se acostumar a fazer as suas atividades com a visão de apenas um olho, ficando difícil para os pais e professores identificarem essa deficiência. Com o passar do tempo, mesmo com a correção de grau, já não se pode mais desenvolver a visão desse olho que se tornou “esquecido” pelo cérebro. Por isso é tão importante medir a visão das crianças aos quatro anos de idade no consultório do oftalmologista, ou com uma tabela de visão em casa ou na escola.

Mas, a primeira consulta da uma criança a um oftalmologista deve ser antes dos quatro anos em situações específicas tais como:

  • Dificuldade de enxergar de perto ou longe;
  • Pais com problemas oftalmológicos ou alto grau de Miopia e/ou Astigmatismo;
  • Sinais de Estrabismo (olho torto);
  • Mudança da coloração da Pupila (a “menina dos olhos”), ou qualquer outra anomalia visível.

Como se certificar de que não há problemas de visão na infância?

A principal maneira de certificar que seu filho não apresenta problemas oftalmológicos é levá-lo a uma consulta oftalmológica. Mesmo que a criança ainda não saiba ler, existem maneiras do Oftalmologista avaliar a necessidade de óculos e de medir a visão da criança com aparelhos diagnósticos específicos. Criar uma rotina (mesmo que na primeira consulta sejam descartadas doenças oftalmológicas) e estabelecer visitas anuais para se certificar de que tudo está bem é o melhor método para garantir que o atendimento e o tratamento adequados sejam feitos o quanto antes caso algo seja detectado.

A boa visão afeta diretamente a autoestima tanto de crianças como de adultos. Por não conseguirem verbalizar ou descrever o que estão sentindo, o diagnóstico pode demorar a vir. Se você deseja uma consulta oftalmológica com profissionais experientes e tecnologia de ponta, agende sua consulta no IOC através do formulário abaixo. Estaremos aguardando pela sua visita e do seu filho ou filha.

Vamos agendar
a sua consulta?