Crosslinking: alternativa segura para tratamento do Ceratocone

10 de abril de 2017

Uma das mais importantes evoluções na Medicina da visão nas últimas décadas envolve o tratamento do Ceratocone, doença que gera uma deformação da córnea, tornando-a mais curvada, no formato que lembra um cone. Trata-se do Crosslinking, um procedimento cirúrgico que retirou um grande número de pacientes da fila do transplante de Córnea, que até meados dos anos 2000 era a única abordagem existente para corrigir a doença em seus estágios mais avançados.

A técnica de Crosslinking fortalece o tecido corneano, impedindo que a deformidade aumente e a doença progrida. A técnica consiste na aplicação de raios ultravioleta na superfície da Córnea com o objetivo de fortalecer as fibras de colágeno que compõe esse elemento do olho.

O Instituto de Oftalmologia de Curitiba também é precursor no uso da tecnologia do laser para corrigir as distorções na córnea, causadas pela doença. Ou seja: além de fortalecer a córnea com o Crosslinking, impedindo que ela progrida, o IOC já corrige, em um único procedimento, as deformidades ocasionadas pelo Ceratocone, evitando a necessidade de novas cirurgias. Esse tratamento é o Crosslinking com laser guiado por topografia.

Antes de realizar o procedimento, o paciente passa por um mapeamento do relevo da córnea (topografia de Córnea) e as informações são repassadas ao laser, que identifica os locais em que as deformidades são mais aparentes e cria um plano de tratamento para amenizar a distorção, melhorando a visão.

O que é o Ceratocone?

Além de ser uma barreira transparente de proteção do olho, a córnea também funciona como uma lente natural com grau. Por isso, a deformação causada pelo Ceratocone torna as imagens borradas e desfocadas, induzindo Miopia e Astigmatismo irregular, que causam a queda na qualidade da visão.

Influenciada por fatores genéticos e muitas vezes associada a quadros alérgicos como rinite e conjuntivite, o Ceratocone atinge com mais frequência os adolescentes, especialmente aqueles que possuem o hábito de coçar ou esfregar frequentemente os olhos. Esse hábito pode acelerar ainda mais a deformação da córnea.

Com a progressão da doença, o uso dos óculos ou das lentes de contato, mesmo rígidas, já não é mais suficiente para corrigir as distorções causadas pela doença, o que leva à necessidade do transplante, nos casos mais avançados. Nos casos tratados com o Crosslinking, a córnea se torna mais resistente e o paciente não chega neste estágio.

Se você apresenta Ceratocone ou algum sintoma dessa doença ou se, ainda, já apresenta um diagnóstico de Ceratocone e deseja acompanhar a sua doença e receber a melhor indicação de tratamento para o seu caso, agende sua consulta no IOC. Nossa equipe de oftalmologistas experientes e a tecnologia pioneira que temos à disposição aguardam por você.

Vamos agendar
a sua consulta?