O

Oclusão

Uma das formas de tratamento do estrabismo. É recomendado que se inicie diante dos primeiros sinais. Quando criança, é importante que se comece o tratamento o quanto antes apresentar episódios de desvios dos olhos. Dessa forma, a cobertura de um dos olhos tem o objetivo de: – impedir ou diminuir a instalação de ambliopia em olhos com estrabismo ou anisomentropia; – melhorar e preservar a visão do olho descoberto; – evitar sequelas do estrabismo; – evitar a diplopia; – colocar os olhos de forma paralela e recuperar a visão binocular. Pode ser feita em 3 níveis: – em uma das lentes dos óculos; – em curativo aderente à pele (oclusor); – em lente de contato com a pupila pintada.

Óculos

Dispositivo que se coloca no rosto, com 4 finalidades básicas, que podem se superpor em uma mesma pessoa: – correção óptica com lentes; – correção de desvios oculares com lentes e/ou prismas; – óculos de sol com filtros; – cosmética.

Oftalmia Neonatal

Tipo de conjuntivite que pode ocorrer já nos primeiros dias de vida até o fim do primeiro mês do recém-nascido. Nem todas as conjuntivites neonatais são infecciosas, ou seja, causadas por bactérias ou vírus, mas frequentemente ocorre por contaminação gonocócica no parto natural.

Oftalmia Simpática

Uveíte não infecciosa, granulomatosa bilateral após um trauma penetrante do globo ocular. Ocorre vitrite. A inflamação do segundo olho pode ocorrer de 10 a 15 dias até vários anos após o primeiro olho ser atingido. 80% ocorre nos primeiros três meses. O olho lesado é designado de excitante enquanto o olho contralateral, posteriormente afetado, é referido como simpatizante.

Oftalmodinamometria

Método de medida da pressão arterial na periferia da circulação da retina.

Oftalmoplegia

É caracterizada por uma paralisia completa dos movimentos oculares, associada a ptose, midríase e paralisia de acomodação; como resultado, o olho envolvido não se move em conjunto com o outro olho.

Oftalmoplegia Externa

Afeta os músculos que movem o olho.

Oftalmoplegia Externa Crônica Progressiva (OECP)

Desordem caracterizada por paralisia lentamente progressiva dos músculos extraoculares.

Oftalmoplegia Interna

Afeta os músculos do interior do olho e a íris – que controla o tamanho da pupila e do músculo ciliar – responsável pela acomodação.

Oftalmoscopia Direta

Exame que envia um feixe luminoso sobre a retina. Permite visualizar a retina com um aumento de 14 a 15x.

Oftalmoscopia Indireta

Exame que envia um feixe luminoso sobre a retina, mas interpondo uma lente convergente, obtendo deste modo uma imagem real e invertida da retina.

Olho Dominante

É o olho fixador habitual.

Olho Fixador

Olho fixador habitual, enxerga melhor e participa mais da visão do que o outro. Na prática oftalmológica é importante determinar esse olho dominante para adaptar lentes de contato em pacientes com presbiopia. É importante dizer que não existe relação entre o olho dominante e a dominância do corpo.

ORA - Ocular Response Analyzer

Aparelho que através de um impulso de ar consegue medir a resistência do tecido corneano, dado importante para a cirurgia refrativa porque as córneas que possuem uma diminuição da sua resistência correm o risco de sofrer modificação no seu formato após a cirurgia. O exame do ORA é indicado para o controle pré e pós-operatório das cirurgias refrativas (excimer laser), de glaucoma e para um melhor diagnóstico de córneas com tendência à ectasia.

Órbitas Oculares

Cavidade do esqueleto da face em forma de pirâmide onde estão inseridos o bulbo do olho, músculos, nervos, vasos e o aparelho lacrimal.

Ortoforia

Alinhamento ocular perfeito – fusão sensorial e motora do olho. O mecanismo cortical central é o responsável por controlar e manter o alinhamento ocular. Quando ocorre alguma falha nesse alinhamento, temos os casos de estrabismo.

Oscilopsia

Sensação de que os objetos “tremem”, visão de objetos que parecem oscilantes. Na oftalmologia, está associada à presença de nistagmos.

Vamos agendar
a sua consulta?