Como evitar o Transplante de Córnea para o tratamento do Ceratocone?

22 de agosto de 2016

Se você ou alguém que você conhece apresenta sintomas como visão embaçada, borrada e distorcida (tanto de perto como de longe), diplopia (visão dupla), presença de halos em torno das luzes à noite e aumento da sensibilidade à luz (fotofobia), é bom ficar atento: estes podem ser sintomas de uma doença chamada Ceratocone, uma condição bem mais comum do que se imagina.

Normalmente o Ceratocone está associado à Conjuntivite alérgica, que causa coceira excessiva nos olhos. Esfregar os olhos repetidamente pode levar ao enfraquecimento e afinamento da Córnea, que passa a tomar o formato de um cone, ficando “bicuda”. Assim, crianças e adolescentes que apresentam coceira excessiva nos olhos e quaisquer sintomas de Ceratocone devem procurar um oftalmologista sem demora.

A progressão da doença pode levar à necessidade de um Transplante de Córnea. Porém, hoje, existe uma maneira muito eficaz de reduzir esse risco.

O diagnóstico do Ceratocone

Os pacientes costumam ser surpreendidos quando recebem no consultório do médico o diagnóstico de Ceratocone. O Ceratocone é um problema na Córnea, que acomete em sua maioria adolescentes e jovens adultos, e se caracteriza por uma deformação e afinamento progressivos da Córnea, levando assim ao desenvolvimento da Miopia, elevados graus de Astigmatismo Irregular e redução acentuada da acuidade visual.

O diagnóstico é feito pelo oftalmologista e confirmado por um exame conhecido como Topografia de Córnea, que visualiza as irregularidades do relevo da Córnea e o grau de intensidade da doença, bem como é útil no acompanhamento dos portadores dessa doença.

Os sintomas do Ceratocone

O Ceratocone pode não apresentar sintoma algum até que já esteja bem avançado. Se a dificuldade visual não for notada na escola, muitas vezes a criança percebe que não está enxergando bem quando coça ou tampa o olho com o qual enxerga melhor

Os principais sintomas apresentados pelos pacientes com Ceratocone incluem:

  • Dor de cabeça;
  • Fotofobia;
  • Desconforto visual;
  • Redução da acuidade visual;
  • Trocas mais frequentes do grau das lentes de contato ou dos óculos.

Com a progressão da doença, os óculos já não fornecem mais a correção necessária para enxergar corretamente.

O tratamento para Ceratocone e o Transplante de Córnea

Até há pouco tempo atrás, os tratamentos para o Ceratocone consistiam simplesmente em prescrições de óculos ou de lentes de contato. Quando a utilização destes métodos começava a não surtir mais efeito, então o Transplante de Córnea passava a ser a única solução para o caso.

A grande e recente revolução no tratamento do Ceratocone chama-se Crosslinking. Esse tratamento fortalece as fibras de colágeno da Córnea, impedindo que as deformidades ocasionadas pela doença progridam. Esse reforço é obtido através da instilação de Riboflavina (Vitamina B2) e aplicação de raios ultravioleta na Córnea.

Além disso, a aplicação de laser (guiado pela Topografia de Córnea) é usada para corrigir as deformidades pré-existentes, trazendo a Córnea para um novo formato, mais regular, que permitirá a melhora da visão.

Outra opção no tratamento do Ceratocone são os Anéis Intraestromais conhecidos por Anéis de Ferrara: próteses acrílicas aplicadas na Córnea para diminuir as suas deformidades e conter suas

Se você tem Ceratocone ou apresenta quaisquer dos sintomas relacionados à doença, é importante realizar uma consulta oftalmológica e acompanhar a evolução da doença ao longo do tempo. O IOC foi a primeira clínica do Brasil a realizar o tratamento de Crosslinking guiado por Topografia de Córnea, procedimento este realizado desde 2007. Agende sua consulta através do formulário abaixo e venha conhecer nossas instalações e profissionais especializados em Ceratocone. Estaremos aguardando por você!

Vamos agendar
a sua consulta?