As alterações da Diabetes na visão

Atualizado em: 8 de outubro de 2017

Os diabéticos devem ter cuidados redobrados não apenas em relação ao controle das taxas glicêmicas: a doença é um dos fatores de risco para o surgimento de diversas outras condições, inclusive alterações oculares potencialmente graves. Os olhos são órgãos que sofrem consequências graves com o avanço da Diabetes, podendo até perder sua função irreversivelmente em alguns casos. Saiba mais sobre como prevenir e tratar doenças oculares ocasionadas pela Diabetes.

Estatísticas importantes

Segundo informações de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Nova Southwestern, nos Estados Unidos, e da Universidade Anglia Ruskin, no Reino Unido, publicado em setembro de 2016 na revista médica Diabetes Care, a perda de visão por conta do Diabetes tem aumentado mundialmente. Entre 1990 e 2010, a quantidade de pessoas com perda de visão parcial ou total devido a doença subiu de 27% para 64%. Apenas no ano de 2010, uma em cada 52 pessoas teve perda parcial da visão e uma em cada 39 pessoas ficou cega por causa da Retinopatia Diabética – uma das doenças oculares mais comuns que ocorrem por conta da Diabetes.

Só no Brasil, 12 milhões de pessoas sofrem de Diabetes e muitas nem sequer chegaram a procurar acompanhamento oftalmológico, tão necessário quanto outros cuidados com a doença. Os números mostram que há pouca conscientização sobre o assunto entre os diabéticos e que faltam informações que promovam a consciência de prevenção e tratamento.

Cuidar não só do Diabetes

Controlar as taxas de açúcar no sangue é o primeiro cuidado que o diabético deve ter. O descontrole pode desencadear efeitos diversos no organismo. As taxas elevadas de açúcar no sangue causam alterações da parede das pequenas artérias do corpo, possibilitando que elas deixem escapar parte do conteúdo do sangue através de hemorragias. Essas modificações na anatomia vascular impedem que a circulação funcione de forma efetiva, causando isquemia em órgãos e membros, incluindo nos olhos, pelas hemorragias na Retina. Para compensar a isquemia, o organismo produz novas artérias, que por sua vez não têm a mesma eficiência de permeabilidade que as originais, permitindo que novos sangramentos voltem a acontecer.

Outro efeito é alteração da pressão ocular e, consequentemente, a vascularização da região. Não é incomum encontrar pacientes com hemorragias e alterações visíveis em ambos os olhos. Situações como essa podem desencadear Glaucoma, Catarata, e a tão temida Retinopatia Diabética, bem como inclusive cegueira irreversível, em fases mais avançadas.

As alterações são mais comuns entre diabéticos do tipo I e II, e não têm idade para começar sua manifestação. Por isso, recomenda-se a todo portador de Diabetes manter uma rotina de consultas e exames com o oftalmologista. É aconselhável fazer exames anualmente e, caso sinta alguma alteração na visão, como turvação visual, dificuldade de foco ou vermelhidão, é necessário buscar ajuda imediata.

Tratamentos disponíveis

Além da prevenção das doenças oculares ocasionadas pela Diabetes por conta de um controle glicêmico adequado, alguns tratamentos já estão disponíveis para os casos mais avançados da perda de visão em função do Diabetes. A Injeção Intravítrea de medicamentos, combinada ao uso de colírios antibióticos demonstram melhora em até 34% da visão central e estabilização da visão em 90% dos casos, segundo observado em estudos clínicos. Considerado o método mais eficaz contra a perda de visão por conta da Retinopatia Diabética, o procedimento de aplicação da injeção dura cerca de cinco minutos e deve ser repetida conforme orientação médica.

A Fotocoagulação a Laser de argônio também é uma das formas de tratamento disponíveis para a Retinopatia Diabética. O laser, aplicado sobre os vasos da Retina, permite realizar a ablação dos frágeis vasos formados, evitando o seu sangramento e, assim, a progressão da doença. Com o surgimento das Injeções Intraoculares, porém, esse tipo de tratamento tem se tornado cada vez menos utilizado.

A cirurgia para os casos mais avançados de Retinopatia Diabética é uma alternativa muito eficiente. Na cirurgia é realizada a remoção do Vítreo (a gelatina natural que preenche o globo ocular), procedimento esse conhecido por Vitrectomia. Novas tecnologias em aparelhos como o EVA – DORC facilitam em muito a remoção do Vítreo, com maiores chances de restaurar a visão, em função de cortes mais precisos e incisões menores, que dispensam a necessidade dos pontos, tornando a cirurgia mais precisa e segura, além de facilitar a rápida recuperação.

Vale ressaltar, porém, que apesar destes tratamentos poderem melhorar consideravelmente o quadro, a Diabetes é uma doença sem cura e a formação de novos vasos sanguíneos, com possíveis sangramentos, continua ocorrendo. Por isso, é preciso investir em um controle adequado da glicemia e realizar exames oftalmológicos anuais.

Se você já tem o diagnóstico da Diabetes e deseja realizar o acompanhamento da sua saúde ocular, o IOC tem uma equipe de profissionais especializada em Retina e Vítreo prontos para lhe atender. Também contamos com uma ampla tecnologia para diagnóstico e acompanhamento das diversas doenças oculares causadas pela Diabetes, como a Retinopatia Diabética. Agende sua consulta pelo formulário abaixo e venha fazer sua visita!



Vamos agendar
a sua consulta?

(41) 3322-2020

clique para ligar

Entre em contato

    Agende sua consulta