Glaucoma de Ângulo Aberto: o que é, causas, sintomas e tratamento

Atualizado em: 16 de outubro de 2017

O Glaucoma é um dos grandes problemas de saúde pública no mundo inteiro e segunda maior causa de cegueira, atrás apenas da Catarata. O Glaucoma de Ângulo Aberto primário é o tipo mais comum dessa doença, e é sobre ele que vamos tratar neste artigo. Conheça esse tipo de Glaucoma, quais os seus sintomas e como é realizado o seu tratamento.

Glaucoma de Ângulo Aberto

O que é o Glaucoma de Ângulo Aberto?

O Glaucoma é a maior causa de cegueira irreversível do mundo. Trata-se de um grupo de doenças cuja principal característica é o aumento da escavação do disco óptico com perda de células ganglionares da Retina, levando a defeitos significativos no campo visual.

O Glaucoma de Ângulo Aberto primário, por sua vez, é caracterizado por:

  1. Um câmara anterior aberta, de aparência normal;
  2. Aumento da Pressão Intraocular (PIO).

A câmara anterior é uma região de nosso globo ocular localizada entre a Córnea e a Íris. Essa área é repleta de um líquido chamado “humor aquoso”, produzido pelos chamados “corpos ciliares”.

Havendo a produção deste líquido, também é extremamente importante que seu excesso seja drenado, para haver equilíbrio de pressão dentro do nosso olho. Para que isso aconteça, é necessário que o ângulo entre a Íris e a Córnea seja aberto o suficiente para a passagem do líquido pelos canais de Schlemm, que irão drená-lo diretamente para o sangue.

Glaucoma: ângulo Iridocorneano

No caso do Glaucoma de Ângulo Aberto, mesmo com o ângulo entre a Íris e a Córnea estando em situação adequada, há um aumento da Pressão Intraocular (PIO) do olho acometido, por conta do defeito de drenagem do humor aquoso em algum ponto dessas várias estruturas do olho. Ainda não se sabe exatamente a causa disso e muitas teorias estão sendo estudadas.

Quais os sintomas desse tipo de Glaucoma?

A maior parte dos portadores do Glaucoma de Ângulo Aberto são assintomáticos no início da doença, apresentando sintomas apenas em um grau avançado do Glaucoma. Nesses estágios mais avançados, há redução do campo visual (diminuição da visão periférica) e/ou visão turva.

Diferentemente do Glaucoma de Ângulo Fechado, ele não apresenta dor nos olhos e, por isso, pode ser chamado de uma doença silenciosa.

Grande parte dos pacientes são, então, diagnosticados durante um exame oftalmológico de rotina ou quando estão realizando um exame por conta de alguma outra doença ocular que esteja causando sintomas.

Diagnóstico do Glaucoma de Ângulo Aberto

Vários pontos são analisados em um exame oftalmológico para se chegar ao diagnóstico de Glaucoma de Ângulo Aberto e graduar o estágio da doença. O diagnóstico de Glaucoma se faz através de uma tríade de achados:

  1. Aumento da Pressão Intraocular (PIO);
  2. Escavação das fibras do nervo óptico;
  3. Perda de campo visual.

Medida da Pressão Intraocular (PIO)

Essa é a primeira e mais importante medida no paciente com Glaucoma. É por conta do aumento na Pressão Intraocular a níveis exagerados que ocorre o dano no disco óptico e, assim, a perda irreversível da visão nesses pacientes.

Essa importante medida é realizada através do exame conhecido por Tonometria. Desde 2009, o IOC tem à disposição uma moderna tecnologia para avaliação desse parâmetro, conhecido como ORA (Analisador de Resposta Ocular), capaz de avaliar a Pressão Intraocular com grande precisão, permitindo um melhor diagnóstico e acompanhamento do Glaucoma.

Ângulo da Câmara Anterior

É esse parâmetro que irá definir a presença de Glaucoma de Ângulo Fechado ou Aberto. A medida desse ângulo é realizada pela Lâmpada de Fenda e pela Gonioscopia.

Avaliação do Disco Óptico

Pelo fato de o Glaucoma ser classificado como uma doença que lesiona o Disco Óptico, o exame clínico deste componente do olho é fundamental na avaliação desses pacientes. Para isso, são realizados exames como a Oftalmoscopia Direta, a Biomicroscopia com Lâmpada de fenda e, mais recentemente, a Tomografia de Coerência Óptica (OCT), método muito eficiente para a avaliação do Disco Óptico.

O IOC foi uma das primeiras clínicas do Brasil a iniciar a avaliação do Disco Óptico através da OCT, tecnologia disponível desde 2011 em nossa clínica.

Com estes e outros parâmetros, será possível realizar a detecção e o acompanhamento do Glaucoma de Ângulo Aberto, bem como a indicação do melhor tratamento para cada caso.

Tratamento do Glaucoma de Ângulo Aberto

A perda visual já instaurada pelo Glaucoma é irreversível. Assim, o tratamento visa evitar a progressão da doença e mais danos ao Disco Óptico. Para isso, é fundamental reduzir a Pressão Intraocular (PIO), pois hoje sabe-se que o aumento dessa pressão é a principal responsável pelos danos ocasionados ao nervo óptico.

A PIO pode ser reduzida de três formas:

  1. Uso de medicações de uso tópico (colírios para Glaucoma) ou via oral.
  2. Abordagem cirúrgica como a Trabeculectomia e a Ciclocrioterapia.
  3. Abordagem por laser como a Ciclofotocoagulação e a Trabeculoplastia.

O IOC apresenta tecnologia de ponta e grandes profissionais para atender às suas necessidades. Se você apresenta quaisquer sintomas oftalmológicos ou já tem o diagnóstico de Glaucoma e deseja avaliar suas opções, agende sua consulta pelo formulário abaixo. Estamos aguardando por você.



Vamos agendar
a sua consulta?

(41) 3322-2020

clique para ligar

Entre em contato

    Dúvidas? Converse conosco ao vivo
    Dúvidas? Converse conosco ao vivo
    Seja bem-vindo(a) ao IOC. Como posso lhe ajudar?
    Conectando...
    Nenhum dos nossos operadores estão disponíveis no momento. Deixe sua mensagem abaixo e responderemos por email assim que possível.
    Nossos operadores estão ocupados. Por favor, tente novamente mais tarde
    :
    :
    :
    Você tem uma dúvida? Escreva para a gente!
    :
    :
    Esta sessão de chat foi finalizada